Órgãos do Judiciário se manifestam sobre liquidação prévia dos danos individuais a vítimas de Brumadinho

Publicado em

 

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) informou ter feito, junto com outros órgãos do Judiciário, a manifestação no processo que trata da liquidação prévia dos danos individuais das pessoas atingidas pelo rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão, em 2019. Na ocasião, com o rompimento da estrutura da Vale em Brumadinho, 272 pessoas morreram e a bacia do Rio Paraopeba foi contaminada com o rejeito de mineração que a barragem abrigava.

De acordo com o MPMG, a liquidação prévia busca apurar os valores a serem indenizados e as formas de comprovação dos danos pelas pessoas atingidas. A medida foi requerida conjuntamente com a Defensoria Pública Estadual e o Ministério Público Federal (MPF) em agosto de 2022. A requisição teve como fundamento a condenação da empresa Vale, em março de 2019, pela reparação de todos os danos decorrentes do rompimento.

Segundo a coordenadora de Inclusão e Mobilização Social do MPMG (Cao-Cimos) da Região Metropolitana de Belo Horizonte, Shirley Machado, a apresentação do rol de danos ao Juízo é um passo importante na busca pela reparação dos danos individuais provocados pela Vale em toda a bacia do Paraopeba. “A ideia na liquidação é que sejam definidos por entidade independente os parâmetros de indenização e os grupos de pessoas atingidas, visando futura execução”, explica.

O promotor de Justiça Davi Pirajá, que também atua no caso, acrescenta que o objetivo da liquidação é identificar os danos sofridos pelas pessoas individualmente, valorá-los para, em seguida, iniciar o pagamento a elas, que deverão comprovar a sua condição de pessoa atingida. “Trata-se de uma forma de cumprir o que determina o microssistema de proteção das pessoas atingidas por barragens, que é formada pelas lei federal 14.755/2023 e pela lei estadual de Minas Gerais 23.795/2021”, pontua.

Sem Titulo 5 7
Rompimento de estrutura da Vale deixou 272 vítimas fatais e incontáveis danos ambientais

Órgãos buscam reparação fora do acordo

A reparação pelos danos individuais causados pelo rompimento está fora do acordo judicial celebrado. Agora, conforme divulgado pelo MPMG, a Vale tem até o próximo dia 30 de maio para apresentar suas contribuições. Após essa etapa, o juiz do caso irá decidir sobre as manifestações das partes.

Na manifestação, o MPMG, a DPMG e o MPF requereram que, após a decisão, seja determinado ao Comitê Técnico Científico da Universidade Federal de Minas Gerais, perito judicial, que apresente um plano de trabalho preliminar. O plano de trabalho tem a função de orientar as atividades a serem exercidas pelo Comitê Técnico nos estudos necessários à apuração dos valores indenizatórios.

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...