Vale e Caterpillar firmam acordo para testar caminhões movidos a energia limpa

Publicado em

 

A mineradora Vale e a fabricante de veículos pesados Caterpillar anunciaram nesta semana a assinatura de um acordo para descarbonização de operações de mina. A parceria inclui a realização de testes com caminhões de grande porte movidos a bateria elétrica e com sistemas de transferência de energia, além da realização de estudos conjuntos para caminhões movidos a etanol.

De acordo com a Vale, a iniciativa visa contribuir no atingimento das suas metas de reduzir as emissões de carbono de escopos 1 e 2 (diretas e indiretas) em 33% até 2030 e zerar suas emissões líquidas até 2050.

Conforme divulgado pela empresa, os caminhões fora de estrada movidos a bateria estão em fase de desenvolvimento pela Caterpillar. Uma unidade com capacidade de 240 toneladas será testada pela Vale em suas operações em Minas Gerais. A Caterpillar também desenvolve um sistema de transferência de energia para caminhões, que será testado nas operações da mineradora no Pará nos próximos anos.

Ainda segundo a Vale, as duas empresas iniciarão ainda um estudo conjunto para um motor bicombustível para caminhões fora de estrada, que funcione com etanol e diesel. As emissões de diesel das operações de mina respondem por 15% das emissões diretas de CO2eq da Vale.

Entre os equipamentos de mina, o caminhão fora de estrada é o maior consumidor de diesel e, portanto, o maior emissor. Por isso, investir em iniciativas para descarbonização das minas, estabelecendo parcerias estratégicas, é fundamental para atingir as metas da empresa.

“Estamos desenvolvendo um portfólio de opções para descarbonizar as operações da Vale, como a eletrificação e o uso de combustíveis alternativos nas minas. As soluções mais viáveis serão adotadas”, explica a diretora de Energia e Descarbonização da Vale, Ludmila Nascimento. “Acreditamos que o etanol tem um grande potencial de contribuir para a meta de 2030 por ser um combustível já adotado em larga escala no Brasil, com uma rede estabelecida de fornecimento, e que requer uma parceria ativa com fabricantes. Estamos juntos para apoiá-los nesse objetivo”, complementa.

O diretor de Engenharia para Operações de Mina e Usina da Vale, José Baltazar, diz que os avanços relevantes no desenvolvimento da tecnologia dos caminhões elétricos nos últimos anos terão papel importante para a mineradora zerar as emissões líquidas até 2050: “Estamos oferecendo como campo de testes as nossas minas no Brasil, com suas características bem específicas, de forma a contribuir para o atingimento das nossas metas e para a construção de uma indústria de mineração mais limpa”.

A Caterpillar é a líder mundial em fabricação de veículos para mineração. A presidente do segmento de Indústrias de Recursos da empresa, Denise Johnson, destaca os benefícios da parceria: “A voz do cliente é um elemento crítico do processo de desenvolvimento de produtos da Caterpillar, e a Vale tem sido uma voz chave durante nossa longa história de colaboração em tecnologia e implementação de produtos. Esperamos continuar nossa colaboração à medida que lançamos a próxima geração das nossas icônicas soluções de mineração para apoiar os objetivos operacionais e ambientais dos nossos clientes.”

Metas da Vale estão alinhadas ao Acordo de Paris

Conforme divulgado pela Vale, desde 2020 a mineradora faz investimentos que podem alcançar até US$ 6 bilhões para atingir a meta de reduzir suas emissões diretas e indiretas (escopos 1 e 2) em 33% até 2030. O objetivo de zerar as emissões líquidas de carbono até 2050 está alinhado com o Acordo de Paris de limitar o aquecimento global abaixo de 2ºC até o fim do século.

A mineradora também assumiu o compromisso de reduzir em 15% suas emissões líquidas de sua cadeia de valor (escopo) 3 até o ano de 2035.

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...