Em ação do MPMG, ex-prefeito de Itabira é condenado a devolver mais de R$ 400 mil aos cofres públicos

Publicado em

 

O ex-prefeito de Itabira João Izael (PMN) foi condenado, em primeira instância, a devolver R$ 426.068,86 aos cofres públicos da cidade minerada. A decisão do juiz André Luiz Alves, baseada em ação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), acata a denúncia de irregularidades em um convênio com o Trail Clube Itabirano durante o primeiro mandato de Izael, entre 2005 e 2007. O ex-prefeito tem 15 dias para cumprir a medida, sob pena de multa de 10% do valor.

A denúncia do MPMG dá conta de que o Trail Clube Itabirano teria celebrado convênios irregulares com o município, gerando danos às contas públicas. O ex-prefeito foi implicado em crime de improbidade administrativa, já que os convênios não teriam tido “objetivos assistenciais” e ocorreram “com realização irregular de prestação de contas”.

A decisão também implica o empresário Paulo Menezes, presidente do Trail Clube Itabirano, e a Federação de Motociclismo de Minas Gerais. Parte dos valores recebidos pelo Trail Clube da gestão do ex-prefeito teria sido repassada à Federação de Motociclismo, de acordo com a denúncia do MPMG.

Com a decisão, os envolvidos estão proibidos de firmar contratos com o poder público e receber benefícios fiscais ou creditícios nos próximos cinco anos.

Ex-prefeito nega irregularidades apontadas pelo MPMG

Por meio de uma nota divulgada nas redes sociais, o ex-prefeito negou as acusações: “Durante o período que estive à frente do município de Itabira, foram celebrados convênios com o Trail Clube de Itabira, entidade sem fins lucrativos e totalmente íntegra. Nosso objetivo era levar entretenimento, lazer e diversão para a comunidade itabirana por meio do motociclismo desportivo”, disse. 

O Trail Clube e a Federação de Motociclismo ainda não se manifestaram sobre a decisão. A reportagem será atualizada assim que houver manifestação. A decisão cabe recurso.

Veja a nota do ex-prefeito João Izael na íntegra

Sempre fui um administrador honesto e transparente. Exerci dois
mandatos pautados nos princípios norteadores da Administração Pública,
sempre pensando em cuidar bem do dinheiro do povo.

Durante o período que estive à frente do Município de Itabira, foram
celebrados convênios com o Trail Clube de Itabira, entidade sem fins lucrativos e totalmente íntegra. Nosso objetivo era levar o entretenimento, lazer e diversão para a comunidade itabirana por meio do motociclismo desportivo. Os convênios também possibilitaram que esportistas amadores da cidade pudessem participar de diversas competições dentro e fora de Itabira.

Em que pese a sentença proferida nos autos de número 0317.12.002355-9, jamais foram cometidas infrações dolosas e todos os convênios eram rigorosamente fiscalizados pela Secretária Municipal de Esporte e Lazer e pela Secretária Municipal de Fazenda, que avaliavam e processavam todos os documentos necessários antes dos repasses financeiros. Sendo assim, tenho a lisura em dizer que as obrigações legais e morais foram executadas, e que o cumprimento da Sentença proposta pelo Ministério Público será desafiado por todos os meios jurídicos cabíveis, tendo em vista minha total inocência quanto aos fatos que geraram o processo.

O que me causa tamanha estranheza, não é o fato de ter um processo
em que me coloco de cabeça erguida para cumprir uma sentença, seja ela qual for – sempre serei homem de honrar com os meus compromissos – mas, de ter um processo divulgado às vésperas de um pleito eleitoral em que tentam manchar a minha imagem política a qualquer custo. Itabira não pode mais pautar suas prioridades em função de problemas que já estão nas mãos de quem deve tratar. Itabira precisa de ações sérias e que nos tragam a certeza de um futuro
mais promissor.

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...