Avanços tecnológicos na mineração e transporte ferroviário

Publicado em

Os setores de mineração e transporte ferroviário enfrentam atualmente um período de grandes desafios, principalmente no que se refere ao desenvolvimento e à adoção de novas tecnologias para redução dos impactos ambientais e sociais.

É perceptível um maior engajamento de comunidades e órgãos fiscalizadores com a finalidade de garantir que as empresas trabalhem em prol de objetivos sociais que vão além do papel de uma corporação para maximizar os lucros.

A atividades de mineração, é reconhecidamente, por possuir elevado impacto ambiental. No caso do transporte ferroviário, o enorme tamanho de algumas operações, a quantidade de carga movimentada e os produtos transportados têm representado riscos para diversas regiões e populações, eventualmente afetadas por acidentes, emissões atmosféricas, ruídos e vibrações. Ambos os setores também são grandes consumidores de combustíveis fósseis.

Nesse contexto, há uma tendência para a elevação do conteúdo tecnológico nesses setores, reconhecidos, como setores que possuem grande parte das suas atividades de manutenção, operação e até mesmo de gestão ambiental utilizando a força humana e ferramentas ultrapassadas onde a qualidade e confiabilidade ficam literalmente nas mãos do trabalhador.

Novas tecnologias estão sendo adotadas, mas que, no entendimento daqueles que trabalham com robótica e mecanização, temos situações em que a tecnologia chega com atraso. Ouço bastante no setor ferroviário que durante testes e manutenções de equipamentos, representantes comerciais do próprio fornecedor dizer o termo outdated technology (tecnologia ultrapassada).

Em paralelo vejo a agricultura dando passos largos com os manuais tecnológicos debaixo do braço dos produtores tornando as atividades mais eficientes e consequentemente mais ecológicas.

É preciso intensificar a aplicação de instrumentos que possam garantir melhores resultados ambientais refletindo uma melhor relação com as comunidades principalmente no setor ferroviário que atravessa inúmeros municípios e áreas sensíveis ao longo de todo o trajeto. É preciso acelerar a locomotiva com seus vagões e os avanços tecnológicos embarcados

Maurício Eleto
Professor, instrutor e especialista em soluções e emergências industriais da ETECMA Soluções.

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...