Itabira recebe a 2ª edição do !PULSA! Movimento Arte Insurgente na próxima semana

Publicado em

 

O !PULSA! Movimento Arte Insurgente pisou em terras itabiranas, pela primeira vez,  em setembro de 2023. O festival artístico mostrou ao público local uma nova perspectiva de programação cultural, dando enfoque nas trocas e diálogos voltados para reflexões fundamentais sobre a sociedade, como questões de gênero, racismo, ecologia e periferia.

Agora, o festival está de volta a Itabira em sua segunda edição. Em 2024, o !PULSA! Movimento Arte Insurgente acontece entre os dias de 20 a 23 de junho, ocupando diferentes espaços, em vários bairros da cidade. Além de apresentações de teatro, música e dança, outras ações prometem conquistar o público itabirano, como os encontros reflexivos do “Fala que !Pulsa!”, a intervenção urbana “Sofá na Rua” e a Festa !Pulsa!”.

Dirigido e idealizado pelos curadores e diretores artísticos Andreia Duarte e Guilherme Marques, o !PULSA! Movimento Arte Insurgente surgiu do desejo da dupla de criar ações de confluências com cidades do interior do Brasil e com regiões periféricas das grandes cidades. “A gente parte do reconhecimento que em todo local existe potência de criação, de imaginação que pode provocar a transformação social. Também que muitos desses lugares trazem outro tipo de sistema de conhecimento, com pessoas que vêm de povos originários, quilombolas, com gente que luta contra a história colonial do país. Então, há uma imbricação entre as ações estéticas, culturais e artísticas que são singulares e trazem um conhecimento político que tensiona o dito ‘pensamento de centro’. Isso são questões fundantes que refletimos para a construção do !PULSA!”, explica Andreia Duarte.

Para os idealizadores , o !PULSA! é um reflexo da articulação entre os responsáveis pela curadoria e a comunidade cultural e artística local. “Nosso movimento vai até os lugares e cria estratégias para conhecer os equipamentos culturais, lugares alternativos, ações, associações, comunidades, artistas, grupos,  toda essa malha de pessoas, projetos, pensadores e estruturas que já existem. Isso nos ajuda a entender desejos, necessidades, vazios e ausências que possibilita um diálogo para a construção de um pensamento curatorial, que não é só chegar ao local, mas que quer confluir e misturar”, detalha Guilherme Marques.

Curadoria !PULSA!

O processo de curadoria dessa segunda edição começou ainda em 2023. “Este ano, em Itabira, chegamos com a experiência da primeira edição somada ao que chamamos de ‘escutaria’, quando pudemos retornar à cidade para discutir com a comunidade cultural e artística de Itabira o que se deu no !PULSA! e como ele foi construído. Retornamos também em diálogo com a prefeitura da cidade. É indispensável que os setores públicos municipais estejam junto conosco, articulando e entendendo a cultura como espaço de potência de criação. Itabira tem a grande sorte de ter um prefeito, Marco Antônio Lage, que consegue enxergar a singularidade do campo cultural para fortalecer a cidade. Foi no diálogo com ele que houve o reconhecimento de que o !PULSA! é um movimento que busca relacionar com as demandas e expectativas locais, tensionando e expandindo as questões sociais e as perspectivas artísticas”, relembram os diretores.

A proposta de continuidade do !PULSA! Movimento Arte Insurgente foi bem recebido pelos curadores, que toparam o desafio. “Estamos felizes, gratos e entusiasmados por ter uma parceria tão potente nessa segunda edição. Nosso arco curatorial pensa a relação entre centro e periferia no campo geográfico, epistemológico e corporal. Assim, construímos uma curadoria que perpassa tanto espetáculos, com linguagem do teatro em palco e rua, intervenções feitas com as lideranças comunitárias, com ações reflexivas e espaços alternativos”, frisa Andreia.

Animados com a programação deste ano, Andreia e Guilherme ressaltam que o público irá presenciar uma grande mistura de influências artísticas. “Vamos entendendo o que nos une nas nossas diferenças, fazendo dessa mistura mundos novos. O !PULSA! tem o desejo de trazer novas formas de existir e pensar para cada lugar que passar, valorizando cada aspecto da força vital e criativa que podemos ser nesse mundo. A gente vai respondendo com arte àquilo que vemos enquanto violência social. Buscamos a perspectiva do coletivo, tendo como referência o que Nego Bispo nos ensinou tanto: não é simplesmente um toma lá, dá cá. É uma confluência. Deste encontro nasce outra coisa, outra imagem de transformação da sociedade e de nós mesmos”, concluem os curadores.

O !PULSA! Movimento Arte Insurgente é realizado pela Olhares Instituto Cultural, pela Outra Margem – produtora de arte Outra Margem, a Fundação Carlos Drummond de Andrade e a Prefeitura Municipal de Itabira. Conta ainda com a parceria cultural de Lamoca – Espaço Livre de Arte, Sofá na Rua e Associação do Bairro Pedreira, além do apoio cultural iBT.

Programação !PULSA!

Todas as atrações do !PULSA! Movimento Arte Insurgente são gratuitas, exceto a Festa !PULSA!, que acontece em parceria com artistas locais e o valor arrecadado será destinado à gravação audiovisual do show. Os ingressos para as peças no teatro da Fundação FCCDA serão distribuídos pela plataforma Sympla.

A programação completa, além de informações como a ficha técnica de cada um dos espetáculos, podem ser acessados pelo site.

Espetáculos

CRIA | Cia Suave | Classificação indicativa: 14 anos
Local: Teatro FCCDA | Dias: 20 e 21 de junho | Horário: 20h
A “dancinha”, estilo de dança urbana carioca derivada do passinho, serviu de inspiração para o grupo na construção de Cria. A partir dessa referência, a peça explora uma mistura de afeto e sensualidade por meio do entrelaçamento do funk e da dança contemporânea. Em cena, também aponta questionamentos a partir de perspectivas dos artistas: como conceber um espetáculo, inventar uma técnica tão nova como o passinho, considerado patrimônio imaterial do Rio de Janeiro em 2018, e criar filhos, principalmente sob a ótica da paternidade? O trabalho, que envereda pelas linguagens artísticas periféricas e destaca a diversidade cultural, inclui, ainda, a dança afro, o afrofunk, o contato-improvisação e uma elaborada pesquisa sonora.

CRIA © Renato Mangolin ALTA 009
Foto: Renato Mangolin

SEU GERALDO | Pigmalião Escultura Que Mexe | Classificação: livre
Local: Praça Campestre | Dia 21 de junho | Horário: 19h
Local: Feira do Agricultor | Dia 22 de junho | Horário: 10h
Neste espetáculo do coletivo mineiro, Seu Geraldo é o condutor da história, um violeiro e cantor de 73 anos. Uma figura singular, que gosta de falar com sua plateia sem barreiras, sobre o assunto que a ocasião manda. Faz seu show ao lado da namorada Dona Catarina, de 81 anos, e Ana, sua irmã. Os três relembram músicas antigas e surpreendem pela escolha de seu repertório e pelo teor inesperado até de suas conversas mais triviais. Seriam três idosos como outros tantos, não fossem eles marionetes de fios esculpidos em madeira absolutamente conscientes de que são seres humanos normais, com os mesmos direitos e deveres de qualquer cidadão.

Seu Geraldo
Foto: Divulgação/Pigmaleão

MONGA | Jéssica Teixeira | Classificação indicativa: 18 anos
Local: Teatro FCCDA | Dias: 22 e 23 de junho | Horário: sábado, 20h; domingo, 18h
O solo da atriz e dramaturga Jéssica Teixeira faz sua pré-estreia em Itabira. Em MONGA, Jéssica se assume estranha e, ao longo de sua performance, se naturaliza cada vez mais estranha. O espetáculo constroi outros imaginários e futuros possíveis a partir da imagem/história de Julia Pastrana, uma mexicana que, por ter o rosto coberto de pêlos, ficou conhecida vulgarmente como mulher-macaco ou a MONGA e se tornou uma das grandes inspirações para os Freak Shows e circos no Brasil e no mundo. Em cena, o jogo entre o erótico e o ridículo norteiam a dramaturgia, e a peça é tomada pelo gênero do terror psicológico com doses de riso nervoso e constrangimento.

MONGA FAROFA24 foto ligiajardim 1
Foto: Lígia Jardim

ELEFANTEATRO | Pigmalião Escultura Que Mexe | Classificação: livre
Local: da Rua Ipoema, 440, até o Lamoca, Pará | Dia: 23 de junho | Horário: 16h
Um enorme elefante, um ser sagrado, um ser místico, um ser gigante, caminha acompanhado por uma multidão que ele mesmo forma. Um elefante nunca esquece. Dentro dele cabe um mundo. O grande animal cênico é operado por uma trupe de artistas operários que dão vida ao elefante, contam, cantam e dançam a história do elefante e dos outros tripulantes-marionetes que habitam dentro dele: pessoas que ele resgata no caminho por onde ele passa, socorridas pelo Elefanteatro. Quem precisa de abrigo é sempre o outro, até sermos nós mesmos. No caminho do elefante sempre haverá outros a serem resgatados.

ELEFANTEATRO 131 DUDUMACEDO
Foto: Duda Macedo

Fala que !PULSA!

Após a primeira apresentação dos espetáculos Cria e Monga, convidamos agentes culturais, ativistas sociais e artistas da cidade para trazer perspectivas sobre cada trabalho, propondo uma fala que dialoga com a obra, com as próprias experiências e com as realidades de Itabira.

  • Cria | Cia Suave | Local:Teatro FCCDA | Dia 20 de junho, após o espetáculo
    Convidados: Sérgio Diaz e Thiago Skp
  • Monga | Jéssica Teixeira | Local: Teatro FCCDA | Dia 22 de junho, após o espetáculo
    Convidado/a: Fábio Junior Ferreira e  Priscila Ribeiro Oliveira

Intervenção urbana: !PULSA! Convida Sofá na Rua
Local: Associação Comunitária do Bairro Pedreira | dia 22 de junho | Horário: das 15h às 20h
O !PULSA! e o Sofá na Rua de Itabira realizam uma parceria nesta edição, propondo usar o espaço público como ponto de conexão e expressão da diversidade. O Sofá é um movimento cultural com mais de dez anos de existência, com atuação em rede de produtores independentes espalhados por todo o Brasil. Em Itabira, o projeto existe desde 2017 e traz para as ruas o ambiente de trocas lúdicas, afetivas e estéticas, com a realização de apresentações, intervenções, instalações, exposições, oficinas artísticas, sociais e ambientais. No diálogo com o !PULSA!, o Sofá chega no bairro Pedreira para receber uma programação com DJ, corte de cabelo, show, intervenção poética e roda de conversa.

  • Casa de Jah | 15h
    Desde 2012, o Casa de Jah leva música jamaicana e outras vertentes musicais para eventos em espaços públicos, com a ideia de propagar música e interação social. Paulo Henrique, o “Cebola”: Músico, DJ e ativista cultural à frente do projeto  Casa de Jah.
  • Corte de Cabelo
    Barbearia Hian do Disfarce | 15h
    Durante a programação, Pretin leva seus equipamentos do salão para a rua na Pedreira e faz cortes de cabelo gratuitos. Hian do Disfarce: barbeiro há quatro anos, Hian vive e atua no bairro Pedreira. É especialista em cortes infantis.
  • Intervenção Poética: Assalto à mão letrada – FESTIM | 15h30 – 16h
    Nesta intervenção de poemas autorais, os artistas itabiranos Pi, Jess e Juca, usam a voz e a performance como principais elementos de cena. Os poemas trazem recortes sociais de diferentes temas, com o objetivo de provocar reflexões sobre situações do cotidiano.
  • Roda de Conversa: O que nos une em nossa diferença? | 16h – 18h
    Convidados/as/es: Danilo Candombe, Evandro da Consolação Santos (Dico da reciclagem), Hudson Junio Diogo Santos, Lia Andrade, Jess Marques, Juca OG e Rafael de Sá. Entre o samba e o hip hop, a periferia e o quilombo, essa é uma conversa que une artistas de Itabira, ativistas sociais e coletivos, trazendo uma sobreposição de ideias e vivências sociais e artísticas. A proposta busca refletir sobre as tensões sociais, as perspectivas diferentes e comuns, pontuando como os atos estéticos e políticos imputam sentidos criativos para os locais.
  • Show ExtraSambah | 18h – 20h
    O show apresenta no repertório clássicos do samba e do pagode. ExtraSambah: grupo de pagode e samba, fundado em 2011, composto pelos itabiranos: Fernando Henrique, Edson Silva, Alex Martins, Rodrigo Silva, Josimar Silva, Renan Mendes.
Sofa na rua Credito Nadia Nicolau
Intervenção Sofá na Rua – Foto: Nádia Nicolau

Ponto de encontro
Local: Buteco do Helton | De 20 a 22 de junho
Durante os dias do !PULSA!, após os espetáculos e as ações, o espaço da rua Ipoema, no bairro do Pará, será o ponto de encontro informal e aberto a todas as pessoas com comidas, bebidas e música.

Festa !PULSA! + Samba do Dan + Dj Adoniran
Local: Mirante Cara de Pau | Dia 22 de junho | Horário 21h
O Mirante recebe a festa !PULSA! em parceria com a gravação audiovisual do show Samba do Dan. O evento ainda conta com a participação do DJ Adoniran. Ingresso: os ingressos são vendidos pela plataforma sympla e o valor arrecadado será destinado à gravação audiovisual do show.

Matérias Relacionadas

‘Biossólido Itabira’ irá transformar lodo da Estação de Tratamento de Esgoto Laboreaux em um insumo agrícola

O “Biossólido Itabira”, uma colaboração entre o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de...

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Festival Os Sons do Brasil’ chega em Ouro Preto e Mariana entre 20 a 22 de junho

Entre os dias 20 a 22 de junho, Ouro Preto e Mariana serão palcos...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Cidade das gemas: moradores de Teófilo Otoni vivem terror com guerra entre facções criminosas

Bandidos trocaram tiros com a Polícia na noite desta quinta-feira; PCC e Comando Vermelho vêm amedrontando moradores da cidade nas últimas semanas

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios