Pela primeira vez, Vale produz pelotas a partir de fontes renováveis

Publicado em

O teste realizado pela empresa utiliza o biocarbono para substituir o carvão antracito no processo de queima das pelotas. Leia a matéria a seguir e saiba mais.

Nesta quinta-feira (16), Dia Nacional da Conscientização sobre as Mudanças Climáticas, a Vale anunciou que, pela primeira vez, conseguiu produzir pelotas com qualidade comercial sem o uso do carvão antracito. O teste foi realizado, em escala industrial, na pelotizadora de Vargem Grande (MG). Iniciado com taxa de substituição de 50% da fonte energética, o teste evoluiu gradativamente até atingir 100%.

O biocarbono é um recurso renovável de emissão zero obtido como resultado da carbonização da biomassa. De acordo com o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), 50% das emissões de C02 acontecem durante a etapa de pelotização, considerado um dos processos mais intensivos em carbono relativo da companhia e que corresponde a 30% do escopo 1. Ao final do teste, foram produzidas 50 mil toneladas de pelotas, sendo 15 mil com 100% de biocarbono de origem certificada.

O engenheiro Rodrigo Boyer afirma que o uso do biocaborno representa uma redução de cerca de 350 mil toneladas de C02 por ano, somente na pelotizadora de Vargem Grande. De acordo com Rodrigo, esse número corresponde à emissão de cerca de 75,4 mil carros populares de mil cilindradas.

“Serão realizados novos testes em 2023 de maior duração para avaliação completa do processo. Só depois desta etapa, poderemos gerar informações para o desenvolvimento da engenharia necessária visando à implantação definitiva do projeto” – acrescenta.

Transição Energética

O contexto das mudanças climáticas e da crise ambiental exigem medidas de contenção e redução dos danos ambientais causados pela atividade humana. Portanto, buscar alternativas sustentáveis é um dos maiores desafios enfrentados pelo setor mineral. Em busca de fontes de energia limpas e renováveis, várias empresas estão passando pela chamada “Transição Energética”. A Vale, por exemplo, é maior mineradora do Brasil e possui altíssimos níveis de emissão de C02 em seus processos. Recentemente, a empresa firmou o compromisso de zerar as emissões líquidas de carbono nos escopos 1 e 2 até 2050.

Leia também: https://cidadeseminerais.com.br/agenda-esg-da-mineracao/

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...