CBA promove capacitação de educadores de 8 municípios da Zona da Mata mineira

Publicado em

 

Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) promoveu durante esta semana a 22ª edição do Curso de Atualização em Educação Ambiental, na Zona da Mata mineira. O projeto compõe o Programa de Educação Ambiental (PEA) da empresa. O encontro foi realizado entre quarta (13) e quinta-feira (14), em Muriaé.

De acordo com a CBA, o evento contou com a participação de cerca de 40 professores e educadores da rede pública municipal e estadual, de oito municípios da região: Itamarati de Minas, Cataguases, Miraí, Muriaé, São Sebastião da Vargem Alegre, Rosário da Limeira, Miradouro e Fervedouro.

“Educação Ambiental Crítica & Transformadora: Desafios Ambientais Emergentes” foi a temática desenvolvida em conjunto com o Instituto Moleque Mateiro, parceiro da CBA em mais esta edição do Curso.

O objetivo, ainda de acordo com a empresa, foi proporcionar a formação ambiental, para que professores e educadores apliquem seus conhecimentos junto aos alunos durante o ano escolar, com apoio da equipe do PEA. Nos próximos meses, eles irão desenvolver práticas aprendidas durante o Curso em suas escolas, por meio dos projetos. Ao final do ano, acontecerá a culminância das ações, quando serão apresentadas as atividades e os projetos desenvolvidos ao longo de 2024.

Iniciativa da CBA é dividida em módulos sobre temas emergentes

Seguindo o modelo dos últimos anos, o Curso de Atualização em Educação Ambiental trabalhará diferentes módulos, que vão abordar análise crítica ambiental, transformações possíveis e embasamento prático e teórico para a criação de projetos ambientais propositivos. Os módulos terão como fundamentos os desafios ambientais emergentes, abordando as crises climáticas globais, gestão de resíduos, economia circular, ecologia, biodiversidade, poluição e poluentes.

Essa é a terceira vez que a professora Lívia Vernier, da Escola Municipal Dr. Justino Pereira, em Miraí, participa do Curso. Para ela, o conteúdo contribui para atualização do tema e sua aplicação em sala de aula. “Esse Curso é muito importante para nós, educadores, pois ‘oxigena’ as nossas ideias para a prática em sala de aula durante o ano letivo. Aprendemos coisas novas e repassamos o conteúdo para nossas crianças. Com isso, podemos mudar a percepção, enquanto escola e família, do uso dos recursos naturais e a forma de agir com o meio ambiente”, diz a educadora.

O gerente das Unidades de Mineração da CBA na Zona da Mata mineira, Christian Fonseca de Andrade, reforça a importância do Programa para a conscientização ambiental da comunidade escolar por meio dos atores educacionais, gerando transformações para as futuras gerações:

“Promover a educação ambiental nos territórios do entorno de nossa Mineração Sustentável é um dos mais relevantes compromissos socioambientais da CBA. Essa troca e sinergia entre Empresa, comunidade, escolas e parceiros é enriquecedora para todos nós, além de promover uma rede de conscientização ambiental, utilizando das nossas práticas sociais e dos cuidados com o meio ambiente como inspiração para transformações que vão além do nosso setor”, afirma o gerente.

“Continuaremos avançando juntos para fortalecer cada vez mais a educação ambiental nas escolas e, consequentemente, o desenvolvimento sustentável das regiões onde a Companhia está presente”, reforça.

Desenvolvido há 22 anos pela CBA, o PEA é uma iniciativa que tem o objetivo de disseminar a viabilidade ambiental da atividade minerária, por meio do conhecimento sobre o meio ambiente, além de ajudar na sua conservação, utilização sustentável e na busca de valores que conduzam a uma convivência harmoniosa com o ambiente e demais espécies que habitam o planeta.

Desde o início de sua atuação, a iniciativa já contou com a participação de mais de 158 mil pessoas em Minas Gerais onde a Companhia possui, há mais de 80 anos, suas minerações de bauxita em operação, estando presente há 40 anos na Zona da Mata mineira.

O Instituto Moleque Mateiro

O Moleque Mateiro, um instituto de educação ambiental, desenvolve, desde 2005, projetos e cursos com ênfase no contato direto com a natureza, em prol da construção de uma cultura de sustentabilidade. Atua para diferentes segmentos sociais, como escolas, universidades, empresas e unidades de conservação.

O trabalho é feito por meio de programas de educação formal e não formal, desenvolvendo metodologias inovadoras para a formação de educadores ambientais, projetos pedagógicos, programas para licenciamento ambiental e sustentabilidade corporativa, além de ações para famílias e comunidades. As informações são do Ibram.

Matérias Relacionadas

‘Biossólido Itabira’ irá transformar lodo da Estação de Tratamento de Esgoto Laboreaux em um insumo agrícola

O “Biossólido Itabira”, uma colaboração entre o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de...

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Festival Os Sons do Brasil’ chega em Ouro Preto e Mariana entre 20 a 22 de junho

Entre os dias 20 a 22 de junho, Ouro Preto e Mariana serão palcos...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Cidade das gemas: moradores de Teófilo Otoni vivem terror com guerra entre facções criminosas

Bandidos trocaram tiros com a Polícia na noite desta quinta-feira; PCC e Comando Vermelho vêm amedrontando moradores da cidade nas últimas semanas

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios