Ministro do MME, Alexandre Silveira, defende exploração de petróleo no Amazonas

Publicado em

O pedido de licença feito pela Petrobrás para a exploração de petróleo no Amazonas foi rejeitado Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). 

O chefe do Ministério de Minas e Energia, Alexandre Silveira, questionou a decisão do Ibama de negar a exploração de petróleo em uma área próxima à Foz do Amazonas. O ministro afirma que mobilizou formas de superar os obstáculos para a obtenção junto ao presidente do Ibama e que foi surpreendido pela decisão. De acordo com Alexandre Silveira, a exigência do Ibama para a realização da Avaliação Ambiental de Área Sedimentar pode tornar a exploração de gás e petróleo inviável na margem equatorial brasileira. A avaliação consiste em um estudo que avalia os impactos socioambientais que podem ser causados pela exploração de petróleo e gás natural na região.

globo canal 4 1 28 frame 194119
O bloco da Petrobras está a 175 km da costa do Amapá e a cerca de 500 km da Foz do Rio Amazonas — Foto: Jornal Nacional | Reprodução

O Ministério de Minas e Energia e a Petrobrás apontam que o estudo deveria ter sido realizado antes da licitação dos blocos. O Ibama, no entanto, afirma que tem cobrado a realização do estudo e que esta é responsabilidade dos ministérios de Minas e Energia e de Meio Ambiente.

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, defendeu o posicionamento do Ibama e afirmou que o governo federal irá respeitar a decisão do órgão e cumprir a lei.

“É uma decisão técnica e, num governo republicando, isso é respeitado. Se uma licença é negada [pelo Ibama], ela está negada” – afirmou.

Reapresentação do pedido

Após dias de discussão no congresso e no Ministério de Meio Ambiente, o Ibama anunciou, em nota, que irá reanalisar o pedido. A reapresentação foi feita pela Petrobrás na última quinta-feira (25).

“O Ibama informa que recebeu nesta quinta-feira (25/05) a reapresentação de Pedido de Expedição de licença ambiental para atividade de perfuração marítima no Bloco FZA-M-59, na Margem Equatorial Brasileira, pela Petrobras. O Instituto vai analisar novamente a proposta e discutir tecnicamente as alterações apresentadas no novo pedido”

 

 

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...