Barragem da Vale em Mariana começa a ser descaracterizada

Publicado em

 

A Vale realiza desde o último dia 20 de abril as obras de descaracterização da barragem Campo Grande, em Mariana (MG). O reservatório está em nível de emergência 1 do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM) e não recebe rejeitos desde 2015. Os trabalhos de implantação de reforço para a estrutura e adequações no sistema de drenagem visam melhoria da condição de estabilidade a longo prazo.

De acordo com a empresa, a previsão é de geração de até 900 empregos, entre trabalhadores diretos e terceirizados, com priorização da contratação de mão de obra local. A conclusão das obras na barragem Campo Grande acontecerão em área interna da empresa, sem moradores na Zona de Autossalvamento (ZAS), e está prevista para 2026.
Ainda de acordo com a Vale, a barragem Campo Grande é monitorada 24 horas por dia, pelo Centro de Monitoramento Geotécnico (CMG) da empresa. Ela também passa por inspeções rotineiras de equipes internas e externas.

Outras barragens

A Vale informou em comunicado que seis das 18 estruturas alteadas a montante no Brasil que ainda passarão pelo processo já tiveram as obras iniciadas. Desde 2019, das 30 que usavam esse método de construção, 40% já foram eliminadas, o que equivale a 12 estruturas. Nove delas estão em Minas Gerais e outras três no Pará.
Em Itabira, o Dique 2 do Sistema Pontal, localizado na Mina Cauê, também teve as obras de descaracterização iniciadas. Para a estrutura, o processo está previsto para ser concluído neste ano e representará a 13ª barragem alteada a montante da Vale eliminada no Brasil desde 2019.
A empresa calcula ter investido desde 2019 cerca de R$ 5,8 bilhões no Programa de Descaracterização. A eliminação de estruturas construídas a montante começou depois do rompimento da Barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, quando 272 pessoas perderam a vida e o Rio Paraopeba foi contaminado com rejeitos. A medida atende às exigências da legislação sobre a mineração e a novas diretrizes de segurança da mineradora.

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...