Afetados por rompimento da barragem de Fundão vivem drama desde 2015 no Vale do Rio Doce

Publicado em

 

A qualidade da água em comunidades dos Municípios de Belo Oriente e Caratinga, municípios do Vale do Rio Doce atingidos pelo rompimento da barragem de rejeitos do Fundão em 2015, será tema de audiência pública nesta segunda-feira (17). A reunião convocada pela Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), está prevista para as 14 horas, no Auditório do andar SE do Palácio da Inconfidência.

De acordo com a ALMG, o debate foi solicitado pela deputada Beatriz Cerqueira (PT) e terá como foco as demandas das comunidades de Cachoeira Escura, em Belo Oriente, e Porto Seguro e Cordeiro de Minas, em Caratinga. Embora o rompimento da barragem tenha sido há quase uma década, as comunidades ainda sofrem com as consequências na demora por reparação.

Ofícios do governo estadual enviados ao Ministério Público em resposta a pedidos de informações indicam que a água entregue para os moradores não cumpre os requisitos para ser considerada potável. A água é entregue aos moradores sem tratamento prévio e chega às torneiras com a cor de barro.

Um desses ofícios, datado de junho de 2022, indica que análises produzidas pela Fundação Renova, responsável pelas ações de reparação relacionadas ao rompimento da barragem localizada em Mariana, demonstram a desconformidade da qualidade da água com os padrões legais.

A audiência poderá ser acompanhada em  tempo real por meio do site da ALMG.

 Acordo de reparação pelo rompimento da barragem de Fundão

Na última semana, Vale, BHP e Samarco colocaram uma nova proposta sobre a mesa de negociação para reparação às comunidades atingidas. A proposta feita durante reunião no Tribunal Regional Federal da Sexta Região (TRF-6), na última quarta-feira (12), prevê R$ 140 bilhões para a assinatura de um novo acordo, com as empresas amortizando R$ 37 bilhões já investidos em ações de compensação.

Os demais R$ 103 bi seriram divididos em pagamento em dinheiro de R$ 82 bilhões pagável em 20 anos ao Governo Federal, aos estados de Minas Gerais e Espírito Santo e aos municípios. Outros R$ 21 bilhões seriam em obrigações a fazer, com a realização de ações de reparação sob responsabilidade das empresas, segundo a proposta.

A reunião no TRF-6 teve a presença de membros da dos governos estaduais e da Advocacia-Geral da União. Caso a proposta seja aceita, o valor total poderá ser dividido somente entre Vale e BHP, uma vez que a Samarco está em recuperação judicial.  Por meio de uma nota, o Governo de Minas afirmou que vai avaliar a proposta das empresas em conjunto com o estado do Espírito Santo, a União e as instituições de Justiça.

 

Matérias Relacionadas

‘Biossólido Itabira’ irá transformar lodo da Estação de Tratamento de Esgoto Laboreaux em um insumo agrícola

O “Biossólido Itabira”, uma colaboração entre o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de...

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Festival Os Sons do Brasil’ chega em Ouro Preto e Mariana entre 20 a 22 de junho

Entre os dias 20 a 22 de junho, Ouro Preto e Mariana serão palcos...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Cidade das gemas: moradores de Teófilo Otoni vivem terror com guerra entre facções criminosas

Bandidos trocaram tiros com a Polícia na noite desta quinta-feira; PCC e Comando Vermelho vêm amedrontando moradores da cidade nas últimas semanas

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios