História de Catas Altas

Publicado em

Catas Altas, garimpo nas alturas

Fundado por Domingo Borges em 1703, o arraial que hoje é conhecido como a cidade
de Catas Altas, assim como diversos municípios mineiros tem uma história ligada diretamente ao ciclo do minério no período do século XVIII. Foi devido à descoberta de
minas auríferas ricas, que a formação do povoado ocorreu em meados de 1694, final do
século XVII.

Essas minas, logo depois foram batizadas de Catas Altas. Porém, a escolha do nome
não foi aleatória, o mesmo tem como referência o próprio local ao qual é chamado. A palavra “catas” denota escavações mais ou menos profundas e garimpo, já a decisão por “altas” é decorrente da área em que essas minas eram encontradas, nos níveis superiores da Serra do Caraça. Antes do empobrecimento das minas e, consequentemente, abandono do arraial, a cidade resguardada pelo contraforte da Serra do Espinhaço e localizada aos pés da Serra do Caraça, já foi um dos arraiais mais populosos e ricos do estado durante o período do ciclo do minério.

catas altas
foto: Monique Renne

Seu restabelecimento se deu por obra da chegada do novo vigário ao arraial,
Monsenhor Manuel Mendes Pereira de Vasconcelos, em 1868. Monsenhor Mendes foi responsável por educar e orientar a população, que não possuía conhecimentos de
subsistência, a plantar videiras, colher, técnicas de fermentação e o necessário para a
produção de vinhos artesanais. Os vinhos produzidos ali foram responsáveis por colaborar
com a recuperação da economia da região durante esse período, em razão da criação de uma cadeia de plantio, fabricação e comercialização. Atualmente, a cidade de um pouco mais de 5 mil habitantes, integrante do Circuito do Ouro ao longo da Estrada Real e estabelecida a 120 km da capital do estado, tem sua economia voltada à mineração de ferro e ao turismo.

 

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...