Série Debaixo da Terra, Acima dos Padrões: Trabalho em Altura

Publicado em

 

O setor de mineração é notório por suas operações em ambientes desafiadores e de alto risco, tornando a segurança ocupacional uma prioridade máxima. Quando se trata de trabalho em altura, os desafios e perigos associados são amplificados. As operações podem ocorrer tanto a céu aberto quanto em minas subterrâneas, mas o perigo associado ao trabalho em altura é uma constante. O trabalho em altura começa a partir de dois metros acima do solo e requer cautela excepcional e protocolos rigorosos de segurança.

Antes de qualquer atividade de trabalho em altura, é crucial realizar uma análise de risco detalhada. Nesta fase, a equipe de Segurança e Saúde no Trabalho (SST) se concentra na identificação de riscos potenciais. Além das contribuições profissionais, os trabalhadores também podem contribuir com suas observações valiosas para uma avaliação abrangente. Esta análise serve para definir procedimentos de trabalho, equipamentos de proteção individual e coletiva necessários, e planos de emergência e resgate. Avalia-se tudo, desde o local onde a atividade será realizada até condições climáticas e sistemas de comunicação.

Uma vez que a análise de risco é concluída, ela deve ser documentada e estar disponível para consulta durante toda a duração do projeto. A análise também deve ser atualizada diariamente para se adaptar a quaisquer mudanças no ambiente, como condições climáticas variáveis ou a introdução de novos equipamentos. A partir daí, um checklist de segurança é elaborado como um protocolo a seguir antes do início de qualquer atividade de trabalho em altura. Isso também é acompanhado por um documento de Permissão de Trabalho de Alto Risco, que deve ser assinado pelo supervisor ou um membro qualificado da equipe de SST.

O próximo passo é preparar fisicamente o local para a atividade. Isso envolve o isolamento e a sinalização do local para evitar acidentes com pedestres ou veículos que passam. Se a área não puder ser completamente isolada, então proteções como coberturas ou plataformas devem ser instaladas para garantir a segurança daqueles abaixo da área de trabalho.

Trabalho em altura deve ser planejado

Depois de todas essas precauções, chegamos à fase de implementação dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Os EPIs são rigorosamente selecionados com base na análise de risco e podem incluir calçados de segurança, capacetes, luvas de raspa ou vaqueta, trava-quedas, cintos de segurança tipo paraquedista com talabartes, e óculos de proteção. Treinamentos e reciclagens são necessários para garantir que os trabalhadores saibam como usar esses equipamentos corretamente. Além disso, um sistema eficaz de comunicação e supervisão deve estar em vigor para monitorar o progresso e quaisquer problemas emergentes.

Toda a operação deve ser planejada e executada com o maior cuidado possível para garantir que o trabalho em altura seja realizado de forma segura e eficaz. E se em qualquer momento forem identificados riscos adicionais, é imperativo relatar as não-conformidades à linha de comando para avaliação e ação imediatas. Somente quando todas as medidas de segurança necessárias são estritamente observadas e implementadas, o trabalho em altura pode ser realizado com a máxima segurança.

Rodrigo Oliver é Engenheiro de Segurança do Trabalho e Higienista Ocupacional, com consultorias prestadas para mais de 200 empresas na área de mineração; responsável técnico pelo software eSocial Brasil e pela rede de clinica médicas ocupacionais Pro Life, com atuação em Itabira, Barão de Cocais, Nova Lima, Itabirito, Mariana e Congonhas..
Rodrigo Oliver é Engenheiro de Segurança do Trabalho e Higienista Ocupacional, com consultorias prestadas para mais de 200 empresas na área de mineração; responsável técnico pelo software eSocial Brasil e pela rede de clinica médicas ocupacionais Pro Life, com atuação em Itabira, Barão de Cocais, Nova Lima, Itabirito, Mariana e Congonhas.

Matérias Relacionadas

‘Biossólido Itabira’ irá transformar lodo da Estação de Tratamento de Esgoto Laboreaux em um insumo agrícola

O “Biossólido Itabira”, uma colaboração entre o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de...

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Festival Os Sons do Brasil’ chega em Ouro Preto e Mariana entre 20 a 22 de junho

Entre os dias 20 a 22 de junho, Ouro Preto e Mariana serão palcos...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Cidade das gemas: moradores de Teófilo Otoni vivem terror com guerra entre facções criminosas

Bandidos trocaram tiros com a Polícia na noite desta quinta-feira; PCC e Comando Vermelho vêm amedrontando moradores da cidade nas últimas semanas

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios