5 anos da tragédia de Brumadinho: Governo Federal pede mais responsabilidade na mineração

Publicado em

Por ocasião da data que lembra os 5 anos do trágico acontecimento em Brumadinho, o Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira (PSD), enfatizou a urgência de processos judiciais céleres para garantir a responsabilização dos responsáveis ​​e promover melhores métodos de mineração.

A ruptura devastadora da barragem do Córrego do Feijão resultou na perda de 272 vidas, mas nenhum dos 16 indivíduos atualmente acusados ​​no Tribunal Federal foi considerado culpado até agora.

Ministro de Minas e Energia declarou apoio a mineração séria nas redes sociais após Brumadinho

Na plataforma X (antigo Twitter), o político mineiro prestou solidariedade às famílias das vítimas e relembrou a importância de se fazer uma mineração segura que não impacte o meio-ambiente e as comunidades locais:

“Iniciei meu trabalho à frente do MME pautando minhas ações por uma mineração séria, segura, que reduz os impactos nas comunidades. E tivemos importantes conquistas, como a instituição da PNAB (Política Nacional dos Atingidos por Barragens), que garantirá os direitos dos atingidos. Não descansaremos até a responsabilização dos envolvidos. Nossos recursos naturais devem servir ao povo, não o contrário”, escreveu.

Uma série de eventos foram realizados na quinta-feira (25) em Brumadinho em homenagem às vítimas do rompimento da barragem. Além dos serviços religiosos que acontecem pela manhã, 272 balões serão lançados no rompimento da barragem para lembrar as vítimas da tragédia.

Lula diz que Vale não fez nada para reparar a destruição

O presidente Lula também se manifestou sobre os 5 anos da tragédia de Brumadinho e disse que neste período a Vale, “nada fez para reparar a destruição causada” pelo rompimento de barragem.

“Hoje faz 5 anos do crime que deixou Brumadinho debaixo de lama, tirando vidas e destruindo o meio ambiente. 5 anos e a Vale nada fez para reparar a destruição causada”

Apesar da declaração de Lula, em 4 de fevereiro de 2021, a Vale iniciou negociações com o Governo do Estado de Minas Gerais, o Ministério Público Federal (MPF), o Ministério da Saúde Pública do Estado (MPMG) e a Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais.

O acordo, estimado em 37,7 bilhões de reais, estabelece as obrigações da mineradora de pagar compensações socioeconômicas e socioambientais pela tragédia.

 

Matérias Relacionadas

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

“A Concessão Itabira Iron”: Livro relata a história da mineração em Itabira.

"A concessão Itabira Iron, a origem da Vale e os primórdios da mineração no...

“É impossível conduzir uma agência na situação que ela está” – diz AMIG sobre Agência Nacional de Mineração

A Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil(AMIG) declarou apoio aos...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios

‘AMM nas Micros’ chega em Conceição do Mato Dentro na próxima semana

A caravana do “AMM nas Micros” volta às estradas e desta vez o objetivo...