Conselheiro da Vale renuncia ao cargo e denuncia intervenção política na mineradora

Publicado em

 

Em uma carta enviada ao presidente do Conselho de Administração, Daniel Stieler, o Conselheiro da Vale José Luciano Duarte Penido expressou sua indignação em relação ao processo de sucessão do CEO da Vale, afirmando que este tem sido conduzido de maneira manipulada por influência política prejudicial.

“Apesar do meu respeito pelas decisões colegiadas, é minha convicção que o atual processo sucessório na Vale está sendo conduzido de forma manipulada, não em consonância com os melhores interesses da empresa, e está sendo influenciado de maneira evidente e prejudicial por questões políticas”, escreveu Penido na carta de renúncia obtida pelo G1.

Penido também expressou sua descrença na capacidade de acionistas relevantes da Vale em cumprir o objetivo de elevar a governança da empresa ao nível de uma corporação de renome.

Ex-conselheiro da Vale disse que as decisões na empresa são pautadas por interesses particulares

Ele afirmou que no Conselho se formou uma maioria cujas decisões são pautadas por interesses particulares de alguns acionistas, enquanto outros têm agendas pessoais bastante específicas ou evidenciam conflitos de interesse.

“O processo tem sido marcado por vazamentos frequentes, detalhados e tendenciosos para a imprensa, demonstrando uma clara falta de compromisso com a confidencialidade”, acrescentou o ex-conselheiro da Vale.

Diante desse cenário, Penido considerou que sua permanência no conselho se tornou ineficaz, desagradável e frustrante.

Em resposta às preocupações levantadas por Penido, a Vale divulgou um comunicado ao mercado afirmando que o processo de escolha do presidente da companhia está em conformidade com o estatuto da empresa, seu regimento interno e suas políticas corporativas.

“Em resposta às notícias veiculadas na imprensa sobre o conteúdo da carta de renúncia do Sr. José Luciano Duarte Penido, o Conselho de Administração da Vale esclarece que o processo de seleção do presidente da empresa está sendo conduzido estritamente de acordo com o Estatuto Social da Vale, seu Regimento Interno e políticas corporativas”, afirmou a empresa.

Saída do conselheiro da Vale pode trazer prejuízos

A saída do Conselheiro da Vale José Luciano Duarte Penido tem gerado repercussões principalmente no âmbito político. Composto por representantes dos acionistas eleitos em assembleia, o colegiado desempenha um papel crucial nas decisões estratégicas da empresa.

Na estrutura atual da Vale, o conselho possui 13 assentos, dos quais oito são ocupados por conselheiros considerados independentes, enquanto os quatro restantes são representantes de acionistas de referência, como Previ, Bradespar e Mitsui, além do representante dos empregados.

A saída de Penido como Conselheiro da Vale, portanto, tem implicações políticas significativas. Em um momento em que o governo já enfrenta críticas por suposta interferência política, especialmente devido à controvérsia em torno do não pagamento de dividendos extraordinários na Petrobras, a crise na Vale assume um papel ainda mais delicado, com acusações de ingerência do Executivo em sua gestão como pano de fundo.

Dessa forma, a saída de Penido do Conselho de Administração da Vale pode amplificar as preocupações sobre a influência política nas decisões corporativas, gerando um ambiente de maior escrutínio e debate público sobre a governança empresarial e a autonomia das empresas em relação ao poder estatal.

Governo Lula tenta emplacar ex-ministro no cargo de CEO da Vale

Após o anúncio feito pela Vale na última sexta-feira (8), confirmando que o atual presidente da empresa permanecerá no cargo até 31 de dezembro de 2024, o cenário para a sucessão na liderança da companhia começa a se delinear.

Segundo comunicado da Vale, a seleção do novo presidente levará em consideração os atributos e perfil necessários para enfrentar os desafios e estratégias futuras da empresa. O Conselho de Administração contará com o apoio de uma empresa de padrão internacional no processo de seleção, e o novo presidente será apresentado assim que o processo sucessório for concluído.

Essa mudança na liderança da Vale ocorre em meio a uma movimentação do governo federal para indicar o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, para o comando da companhia. Contudo, essa proposta encontrou resistência por parte dos demais acionistas da empresa, evidenciando a complexidade e a sensibilidade do processo sucessório em uma das maiores empresas do país.

A sucessão na presidência da Vale é um tema de grande relevância não apenas para a empresa e seus acionistas, mas também para o cenário econômico e político do Brasil, refletindo as tensões e interesses envolvidos na gestão de uma companhia de porte e importância estratégica como a Vale.

* Modificado em 18 de março de 2024, às 20h27

Matérias Relacionadas

‘Biossólido Itabira’ irá transformar lodo da Estação de Tratamento de Esgoto Laboreaux em um insumo agrícola

O “Biossólido Itabira”, uma colaboração entre o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de...

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Festival Os Sons do Brasil’ chega em Ouro Preto e Mariana entre 20 a 22 de junho

Entre os dias 20 a 22 de junho, Ouro Preto e Mariana serão palcos...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Cidade das gemas: moradores de Teófilo Otoni vivem terror com guerra entre facções criminosas

Bandidos trocaram tiros com a Polícia na noite desta quinta-feira; PCC e Comando Vermelho vêm amedrontando moradores da cidade nas últimas semanas

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios