Com 40% da Vale, Trader da Suíça acusada de corrupção é a principal controladora da indústria de alumínio no Brasil

Publicado em

Desde o final de 2023, o setor de alumínio no Brasil passou a ter uma nova figura como principal controladora. A empresa suíça Glencore, considerada a maior trader de commodities global, adquiriu 40% da participação da Vale e 5% da Hydro na Mineração Rio do Norte (MRN).

Essa transação resultou na consolidação da Glencore como a principal acionista da principal produtora de bauxita, a matéria-prima essencial para a produção de alumínio no país. O valor dessa significativa transação foi avaliado em mais de 1 bilhão de dólares.

Empresa extrai 12 milhões de toneladas de alumínio

Atualmente detendo 45% da MRN, a Glencore assume a gestão de um volume impressionante de 12 milhões de toneladas de bauxita anualmente.

Essa produção é destinada à exportação para três continentes, consolidando a influência global da empresa no setor de alumínio.

Contudo, esse controle não vem sem desafios, já que a MRN opera um complexo de barragens que enfrenta questões ambientais e desperta preocupações entre as comunidades ribeirinhas e quilombolas na região de Oriximiná, localizada no oeste do Pará.

A Glencore opera em mais de 35 países, gera lucros de mais de US$ 34 bilhões, comercializa mais de 60 commodities diferentes e possui uma cadeia completa de valor de mineração, incluindo participações significativas de cobre, cobalto, alumínio, níquel e minério de ferro.

O gigantismo também se reflete na escala dos problemas que enfrenta e na extensão das práticas questionáveis ​​da empresa.

Empresa e a corrupção

Em meados de 2022, a Glencore veio a público assumindo sua participação em um extenso esquema de corrupção transcontinental, que operou de maneira abrangente por mais de uma década. Este esquema incluiu o pagamento de subornos a autoridades e a manipulação de preços em diversas partes do mundo.

Como parte das consequências legais, a Glencore concordou em desembolsar US$ 1,5 bilhão em multas devido a atividades ilegais perpetradas em países da África, Brasil, Venezuela, Estados Unidos e Reino Unido.

No território brasileiro, a Glencore enfrentou investigações por parte do Ministério Público Federal (MPF) devido ao pagamento de propinas milionárias, em conjunto com as empresas Vitol e Trafigura, a funcionários da Petrobras durante a Operação Lava Jato.

Essa situação de suborno envolveu aproximadamente 160 operações de compra e venda de petróleo e seus derivados, além do aluguel de tanques para o armazenamento de combustíveis, entre os anos de 2009 e 2014.

No início de 2022, a empresa assinou um acordo de leniência (mecanismo anticorrupção entre confessores e órgãos estatais) com a Petrobras para pagar à estatal US$ 39,6 milhões por corrupção.

Matérias Relacionadas

‘Biossólido Itabira’ irá transformar lodo da Estação de Tratamento de Esgoto Laboreaux em um insumo agrícola

O “Biossólido Itabira”, uma colaboração entre o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de...

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Festival Os Sons do Brasil’ chega em Ouro Preto e Mariana entre 20 a 22 de junho

Entre os dias 20 a 22 de junho, Ouro Preto e Mariana serão palcos...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Cidade das gemas: moradores de Teófilo Otoni vivem terror com guerra entre facções criminosas

Bandidos trocaram tiros com a Polícia na noite desta quinta-feira; PCC e Comando Vermelho vêm amedrontando moradores da cidade nas últimas semanas

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios