Amig: Reforma Tributária pode gerar cerca de 20% de perda de arrecadação a municípios minerados

Publicado em

 

Um estudo encomendado pela Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil (Amig) e realizado pelo Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) e pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas e Administrativas (Ipead), instituições ligadas à Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), concluiu que a Emenda Constitucional (EC 132/2023), a chamada “Reforma Tributária”, provocará um prejuízo de até 20,2% na arrecadação dos municípios minerados. Isso caso seja aprovada da forma como foi apresentada pelo Governo Federal ao Congresso Nacional.

Intitulada “Mineração e Tributação – Uma avaliação da Reforma Tributária e dos impactos nos estados e municípios mineradores”, a pesquisa foi apresentada por especialistas em tributação a prefeitos, gestores municipais, deputados federais, entre outros, durante reunião promovida pela Amig em Brasília, no último dia 26 de junho. O estudo detalha a reforma com foco nas receitas dos municípios filiados à associação, tendo o ano de 2022 como referência.

O presidente da Amig, José Fernando Aparecido de Oliveira, destaca que há soluções, mas é preciso ação imediata: “Hoje, mesmo com todos os impactos, ainda vale a pena ser um município minerador devido às arrecadações. Mas, ficou claro que a reforma, como está proposta, além de manter a Lei Kandir, que traz severos prejuízos aos cofres públicos municipais e Estaduais, vai tirar ainda mais recursos com a mudança na distribuição do ICMS e ISS (agora suprimidos aos novos impostos) e na Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM), que é uma compensação por tudo que é tirado dos territórios minerados e que tem enriquecido ano após ano, década após década, o lado “privado da mineração”.

Um dos pontos considerados críticos é a criação do Imposto Seletivo (IS) de 1% — incidindo sobre a produção, comercialização ou importação de produtos prejudiciais à saúde e ao meio ambiente – que poderá ser deduzido das bases da CFEM. “Pior, na outra ponta, o critério de distribuição do IS segue basicamente a regra populacional. Ou seja, as atividades que devem ser desestimuladas (e, que, certamente, geram impactos negativos significativos) terão o condão de gerar receita tributária que ficará concentrada na União, Estados e Municípios não impactados diretamente”, alerta o consultor de Relações Institucionais e Econômicas da Amig, Waldir Salvador.

A pesquisa aponta que o IS deverá gerar um aumento de R$ 1,53 bilhão por ano (apenas na cobrança da mineração do minério de ferro, gerando uma diminuição na mesma proporção da CFEM a ser recolhida). “Ou seja, os municípios que atualmente recebem 75% da CFEM (60% produtores e 15% afetados), passarão a receber menos de 1% do IS, devido à divisão desse imposto ser feito pelo critério populacional”, complementa Salvador.

O consultor enfatiza que Governo Federal e Congresso devem ficar atentos aos próximos passos sobre a reforma, já que se trata de “questões urgentes das cidades que perfazem 4% do PIB nacional e 10% da balança de exportação brasileira”.

Propostas da Amig e promessas do governo

A reportagem completa incluindo propospostas  da Amig e promessas do governo sobre o tema estão na edição especial do Jornal Cidades & Minerais. Para adquirir a versão impressa ou digital da publicação, os interessados devem entrar em contato pelo WhatsApp (31) 98798-5580.

Matérias Relacionadas

‘Biossólido Itabira’ irá transformar lodo da Estação de Tratamento de Esgoto Laboreaux em um insumo agrícola

O “Biossólido Itabira”, uma colaboração entre o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de...

‘Festival Fartura Dona Lucinha’ agita cidades de Serro e Conceição do Mato Dentro

Entre os dias 20 e 28 de maio, o "Festival Fartura Dona Lucinha" chega...

‘Festival Os Sons do Brasil’ chega em Ouro Preto e Mariana entre 20 a 22 de junho

Entre os dias 20 a 22 de junho, Ouro Preto e Mariana serão palcos...

‘Rodovia do Minério’: acordo entre MPMG e prefeituras pode tirar 1.500 carretas da BR–040

No primeiro semestre deste ano, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pretende finalizar...

últimas Matérias

 Anglo Gold Ashanti tem vagas de estágio para níveis técnico e superior

Vagas se destinam tanto a atuações presenciais quanto híbridas, com carga horária diária de 6 horas; Inscrições podem ser feitas pela internet até 31 de agosto

 Ato em defesa da ANM – servidores protestam pela estruturação da Agência Nacional de Mineração

Servidores da Agência Nacional de Mineração estão com as atividades paralisadas como forma de...

 Cidade das gemas: moradores de Teófilo Otoni vivem terror com guerra entre facções criminosas

Bandidos trocaram tiros com a Polícia na noite desta quinta-feira; PCC e Comando Vermelho vêm amedrontando moradores da cidade nas últimas semanas

 Funcionários dos Correios desistem de greve na véspera da Black Friday

Servidores cogitavam paralisação para reivindicar correções em Acordo Coletivo e melhores condições de trabalho, mas desistiram da ideia após terem pedidos considerados pelos Correios